domingo, 27 de junho de 2010

O peso da cruz


Paz, queridos

Queria compartilhar hoje uma experiência que não é minha, mas que me tocou muito.

Ouvi de uma tia, que tem passado uma grande luta, algo que o Espírito Santo falou a ela. [Quando passamos por dificuldades e abrimos os ouvidos do coração, o Senhor fala conosco! Creiam nisso!] A luta que ela está passando é realmente difícil, e em alguns momentos, se pega um pouco triste e fatigada... Mas esse foi o momento que o Espírito escolheu para compartilhar uma pérola com ela. [Vocês têm se aquietado e deixado o Espírito lhes falar em meio a dor?] Quando ela disse em seu coração: "Puxa, Pai, que cruz!", o Espírito lhe disse: "A cruz tem o peso que nós damos a ela".

Essa frase lhe causou um impacto tão grande que, no mesmo instante, ela se recompôs! O seu rosto, que antes trazia tristeza, passou a emanar alegria e paz. Raramente vejo pessoas que passam por lutas demonstrar tanta paz como pude ver com o seu exemplo. Ela ainda completou: "Quando sinto que vou desmoronar novamente, o meu coração se lembra do que o Espírito me falou, e me levanto e continuo andando." Glória a Deus!!!
Eu confesso que ainda estou muito longe desse patamar, pois em meio às lutas, queridos, murmuro tanto, que só a misericórdia do Senhor para me perdoar. Deus tem trabalhado em mim, e creio que um dia passarei pelas dificuldades e me regozijarei em todas elas. A cruz passa a ser leve e suportável quando a carregamos com Cristo. Cada um de nós tem uma cruz, e precisamos levá-la, pois foi isso que o Senhor nos disse. "Quem quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me."(Mc 8:34). A cruz não é algo que carregamos só uma parte da nossa vida. Não! Carregamos nossa cruz como Cristo fez, quando assumimos um compromisso com Ele. A partir disso, tomamos nossa cruz e continuamos a carregá-la até o fim! A cruz é renúncia, entrega... Há morte na cruz... Entretanto, por causa da cruz de Cristo, a nossa cruz também pode ser refrigério pra nós. É algo louco de se pensar, não é? Por causa da cruz de Cristo, nós não carregamos nossa cruz para sermos mortos como Ele, pois o preço já foi pago. No entanto, na cruz precisa haver a morte do nosso eu, em renúncia! Nesse momento, recebemos tudo o que precisamos nEle... Ele nos dá amor, sabedoria, paz, graça... GRAÇA! Ele nos dá graça suficiente para suportarmos toda e qualquer aflição, para passarmos por toda e qualquer dificuldade. Creio que foi isso que minha tia conseguiu compreender, e é essa mensagem que deixo pra vocês hoje. Olhem para sua cruz, e ao invés de olhá-la com desprezo, olhe-a através da graça, e deixe que o Espírito ministre Sua palavra em seus corações.

Um abraço! Paz seja com todos!

terça-feira, 22 de junho de 2010

Imperfeição maquiada


A paz do Senhor Jesus seja com vocês,

Gente, estou simplesmente sem palavras... [Apesar de dizer isso, se preparem para o texto que vem... rsrsrs]... Deus é realmente o psicólogo dos psicólogos! Tenho vivido isso de forma muito clara nos últimos dias.

Há algumas semanas retornei ao processo psicoterapêutico, após a minha desistência do último, no ano passado. Creio que é o momento que Deus está trabalhando em mim de forma muito especial, embora difícil. O Senhor tem me dito de várias formas que está moldando o vaso, que está trabalhando em mim, para que eu possa cumprir os Seus propósitos. Nem sempre estou disposta a dizer "Eis-me aqui", principalmente quando Ele toca em algo doloroso. A única coisa que consigo fazer é chorar e clamar por misericórdia... Entretanto, nas últimas semanas tenho tido uma maior clareza do Seu trabalho perfeito, e mesmo doendo, tenho tentado me deixar nas mãos do Oleiro.

Semana passada tive um sonho muito interessante! [Creio que é uma das formas mais claras que o Senhor fala comigo]. O sonho era extenso, e só me lembro de uma pequena parte, que tomo como a significante. Eu estava sentada no banco traseiro de um carro, em que o pastor Cirilo [é esse mesmo!!] dirigia. Eu não o conheço, gente, foi só no sonho mesmo. Rs... Ele ministrava algo sobre a minha vida e, dentre outras coisas, me dizia o seguinte: "O Senhor não quer que você use maquiagem. Você só está permitida usar um brilhinho (gloss) e maquiagem só em uma festa." Acordei, e só essa parte ficou na minha lembrança. "Será que o Senhor falou comigo ou é coisa da minha cabeça???" Pensei... "Bem, por via das dúvidas, é melhor obedecer. Se eu estiver entendendo mal, Ele mesmo me corrigirá, pois vê que estou tendo a melhor das intenções."

Bem, eu só não sabia que isso seria tãaaaaaaaao pesaroso! "Aiiiiiii, Jesus!!! Por que o Senhor quer que eu fique feia????" Parece algo idiota, mas como isso mexeu comigo! Eu me sentia "nua", estranha, parecia que faltava alguma coisa. Mas "dei a minha cara a tapa" e me permiti passar por aquela experiência que eu não entendia muito bem o sentido até hoje.

Para que vocês entendam o que penso ser o trabalhar de Deus na minha vida, preciso contextualizá-los. Sempre procurei ser perfeita. Sempre! Algo sem sentido e louco, porque sabemos que perfeição não existe, não é mesmo? Aliás, perfeição só existe em Deus. Pois bem, embora isso chegue à esfera cognitiva, o meu emocional nunca acompanha. Eu não consigo deixar de tentar ser perfeita. E como isso é difícil, pesado, doloroso... "Ahhhhh, como eu gostaria de saber quem sou. Como gostaria de fazer o que penso, dizer o que penso, sem me preocupar com o que as pessoas ao meu redor estão achando de mim". Sempre pensava... mas nunca tinha coragem de testar isso, de tentar me encontrar e me permitir ser eu mesma, sem me importar com as pessoas.

A questão é que embora todos ao meu redor não me entendam, o Senhor me entende! Ele perscruta o mais profundo da minha alma, esquadrinha o meu coração, e sabe o quanto isso me traz sofrimento, o quanto me aprisiona. É exatamente isso. Sinto-me aprisionada muitas vezes, carregando um fardo pesado de uma imagem que em algum momento da minha vida achei que precisava carregar. Mas quando o Senhor Jesus entra na nossa vida, Ele não tira algum fardo de nós, Ele tira todo nosso fardo, pois não quer que caminhemos em aflição. Nós passamos por aflições, como diz a Palavra, mas não devemos viver aprisionados pelos fardos. Ele nos diz: "Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados e Eu vos aliviarei" (Mt 11:28). O Senhor Jesus já havia tirado muitos dos fardos que eu carregava, mas esse específico eu nunca consegui tirar da minha vida; ou melhor, nunca consegui deixar que Ele o tirasse de mim. Eu não permitia que Ele colocasse Sua mão nessa ferida.

Uma mensagem que arde em meu coração é que o Senhor quer que eu voe. [Não só a mim, Ele deseja que nós voemos!]... Já ouvi isso do Senhor várias vezes, e sempre dizia a Ele: "Senhor, mas eu não sei como voar. Eu não sei como abrir as asas... Me ajude, Deus!". Entendo porque não consigo. É praticamente impossível voar se estamos aprisionados por algo, se carregamos algo que é difícil até para caminhar.

Entendo que o Senhor quer me despir da imagem de "perfeição", da qual não consigo me desfazer, talvez por medo de ser incompreendida, ou não tão amada como antes, enfim, é um preço a se pagar e me sinto muito covarde para enfrentar isso. No entanto, está mais do que na hora de experimentar o novo de Deus em minha vida, e para chegar numa próxima fase, talvez seja necessário passar por essa prova, essa exigência.

Hoje a minha terapeuta, também uma mulher de Deus, me ajudou compreender a linguagem do sonho. Deixar de usar maquiagem é algo literal, mas pode ser ampliado para a minha grande dificuldade. Que maquiagem uso para me esconder das pessoas? O que procuro esconder? Por que tentar sempre ser perfeita? Sendo assim, parece que procuro controlar todas as coisas, e não permito que o meu Deus, meu Senhor e Dono por direito, controle a minha vida.

Deixo essa reflexão pra vocês. Será que há algo em vocês que precisa ser escondido das pessoas? Será que usam algum tipo de maquiagem para camuflar suas imperfeições? Postei uma mensagem semelhante há algum tempo, com o título de "Capas de vaidade", março 2009.

Abraço a todos!!

terça-feira, 15 de junho de 2010

A doutrina esquecida - PAUL WASHER

video

"A EVIDÊNCIA DA CONVERSÃO NÃO É UM 'CARTÃO DE DECISÃO' PREENCHIDO.

É UMA VIDA SENDO VIVIDA!"

Paul Washer.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Palavra às solteiras

A paz do Senhor Jesus, amadas

Estamos nos aproximando do dia dos namorados e é um momento de tristeza para aquelas que não estão com a sua bênção do lado. Recebi uma palavra essa semana, através de uma mulher de Deus, já casada, que edificou muito a minha vida, e creio que é importante compartilhar com vocês, pois sei que esperar por um casamento de Deus traz muita ansiedade.
Eu também espero no Senhor, e sei como é penoso aguardar por algo tão sonhado, mas ficar ansioso por isso só nos leva a sofrimento desnecessário, escolhas precipitadas (que geram conseqüências terríveis) e nos impede de buscarmos estratégias funcionais – uma vez que o nosso foco é somente esse. Enfim, por muito tempo da minha vida vivi assim e se vocês se perguntarem onde foi que eu cheguei, não terei uma resposta muito positiva. Continuei onde estou! Ainda esperando e completamente despreparada. Despreparada para um casamento! Entendi essa semana que posso transformar a minha espera em algo mais funcional, que me leve a um crescimento emocional e espiritual, ao invés de me “debater” em minhas dores e estratégias que não levam a lugar nenhum, e até entrar num ciclo de murmurações.
Deus é perfeito, e assim é a sua vontade, como diz a palavra do Senhor – sua vontade é boa, perfeita e agradável. [ Alguém tem alguma dúvida disso???]. O problema é que parece que não conseguimos chegar à plenitude da Sua palavra, e queremos antecipar as coisas de Deus. Ele, ao nos criar, ou melhor, ao sonhar conosco, já havia estabelecido todas as coisas. Se nós conseguirmos nos focar naquilo que Ele nos confia hoje, não precisamos nos tornar ansiosos com o que virá no futuro.
O que acontece quando fazemos um vestibular e passamos? Vamos supor que vocês comecem a cursar psicologia (e assim se tornem minhas colegas!!! rsrs). Vocês passarão os primeiros cinco anos de muito estudo para receberem o título de psicólogas – as que quiserem ir além, podem continuar a carreira acadêmica, mas enfim... Não vem ao caso. Durante esses cinco anos vocês serão “estudantes” de psicologia, não psicólogas ainda. Vai adiantar ficarem ansiosas para começar a atender antes da hora? Não, porque existia uma etapa a ser cumprida aqui.
“Ei, Bárbara, não sei exatamente onde você está querendo chegar!”. Bem, meninas, vamos imaginar que estamos numa espécie de “faculdade” estabelecida por Deus, para que nos preparemos emocional e espiritualmente para receber um casamento abençoado. E nessa faculdade, existem disciplinas fundamentais para ser uma boa esposa, e que não precisamos necessariamente de esposos para desenvolver as competências necessárias. Parem para se analisar... Se o Senhor lhes proporcionasse um casamento para hoje mesmo, estariam prontas para serem esposas à luz da palavra de Deus??? Eu creio que eu não estaria pronta, embora viva ansiosa para viver essa bênção de Deus na minha vida.
Por favor, não estou dizendo aqui que precisamos ser “letradas” para só assim recebermos a bênção. Claro que não! Aliás, a faculdade do Senhor se estende para pós graduação, mestrados, doutorados e pós doc... Então, queridas, mesmo depois de casadas, ainda teremos muito a aprender. Só estou refletindo sobre isso com vocês, porque todas podemos transformar essa espera em algo mais funcional.
Quem já não orou a Deus, especificando as qualidades que gostaria que tivesse o seu esposo? Eu já fiz isso algumas vezes... Mas, por acaso vocês já se perguntaram como os seus futuros esposos tem orado em relação ao que esperam numa esposa? Eu pensei nisso esses dias... “Deus, acho que preciso mudar minha oração. O Senhor já sabe como eu desejo que ele seja. Agora é o momento que eu seja focada a desenvolver habilidades que venham a agradar ao meu futuro esposo.”... Creio que quando nos focamos a desenvolver algo positivo, podemos “diluir” nossa ansiedade, uma vez que não ficamos de “braços cruzados”, choramingando porque a bênção ainda não chegou. Se vocês não sabem como orar, ou que competências desenvolver, tenho uma ótima sugestão a vocês... Meditem nessa palavra minuciosamente, pois edificou muito a mim e creio que será o mesmo com vocês.

Provérbios 31:10-21.
10 Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis.
11 O coração do seu marido está nela confiado; assim ele não necessitará de despojo.
12 Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida.
13 Busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com suas mãos.
14 Como o navio mercante, ela traz de longe o seu pão.
15 Levanta-se, mesmo à noite, para dar de comer aos da casa, e distribuir a tarefa das servas.
16 Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com o fruto de suas mãos.
17 Cinge os seus lombos de força, e fortalece os seus braços.
18 Vê que é boa a sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite.
19 Estende as suas mãos ao fuso, e suas mãos pegam na roca.
20 Abre a sua mão ao pobre, e estende as suas mãos ao necessitado.
21 Não teme a neve na sua casa, porque toda a sua família está vestida de escarlata.
22 Faz para si cobertas de tapeçaria; seu vestido é de seda e de púrpura.
23 Seu marido é conhecido nas portas, e assenta-se entre os anciãos da terra.
24 Faz panos de linho fino e vende-os, e entrega cintos aos mercadores.
25 A força e a honra são seu vestido, e se alegrará com o dia futuro.
26 Abre a sua boca com sabedoria, e a lei da beneficência está na sua língua.
27 Está atenta ao andamento da casa, e não come o pão da preguiça.
28 Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; seu marido também, e ele a louva.
29 Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente!
30 Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa sim será louvada.
31 Dai-lhe do fruto das suas mãos, e deixe o seu próprio trabalho louvá-la nas portas.


Deus abençoe vocês tremendamente!

terça-feira, 1 de junho de 2010

Bom ânimo!

Paz, queridos,
Recebi esse texto por e-mail. Muito edificante!
Abraços!




“... advirtam os ociosos, confortem os desanimados, auxiliem os fracos, sejam pacientes para com todos."
I Tessalonicenses 5:14.

"Conta-se que uma família foi forçada a sair de sua casa quando tropas inimigas invadiram a localidade onde viviam.
Para fugir aos horrores da guerra, perceberam que sua única chance seria atravessar as montanhas que circundavam a cidade.
Se conseguissem êxito na escalada, alcançariam o país vizinho e estariam a salvo.
A família compunha-se de umas dez pessoas, de diversas idades.
Reuniram-se e planejaram os detalhes: a saída de casa, por onde tentariam a difícil travessia.
O problema era o avô.
Com muitos anos aos ombros, ele não estava muito bem.
A viagem seria dura.
- "Deixem-me", falou ele.- "Serei um empecilho para o êxito de vocês. Somente atrapalharei. Afinal, os soldados não irão se importar com um homem velho como eu".
Entretanto, os filhos insistiram para que ele fosse.
Chegaram a afirmar que se ele não fosse eles também ali permaneceriam.
Vencido pelas argumentações, o idoso cedeu.
A família partiu em direção à cadeia de montanhas.
A caminhada era feita em silêncio.
Todo esforço desnecessário deveria ser poupado.
Como entre eles havia uma menina de apenas um ano, combinaram que, a fim de que ninguém ficasse exausto, ela seria carregada por todos os componentes da família, em sistema de revezamento.
Depois de várias horas de subida difícil, o avô se sentou em uma rocha.
Deixou pender a cabeça e quase em desespero, suplicou:
- "Deixem-me para trás. Não vou conseguir. Continuem sozinhos”.
- "De forma alguma o deixaremos. Você tem de conseguir. Vai conseguir", falou com entusiasmo o filho.
- "Não", insistiu o avô, "deixem-me aqui".
O filho não se deu por vencido.
Aproximou-se do pai e energicamente lhe disse:
- "Vamos, pai. Precisamos do senhor. É a sua vez de carregar o bebê".
O homem levantou o rosto.
Viu as fisionomias cansadas de todos.
Olhou para o bebê enrolado em um cobertor, no colo do seu neto de treze anos.
O garoto era tão magrinho e parecia estar realizando um esforço sobre-humano para segurar o pesado fardo.
O avô se levantou.
- "Claro", falou, "é a minha vez. Passem-me o bebê".
Ajeitou a menina no colo.
Olhou para o seu rostinho inocente e sentiu uma força renovada.
Um enorme desejo de ver sua família a salvo, numa terra neutra, em que a guerra seria somente uma memória distante tomou conta dele.
- "Vamos", disse, com determinação. "Já estou bem. Só precisava descansar um pouco. Vamos andando".
O grupo prosseguiu, com o avô carregando a netinha.
Naquela noite, a família conseguiu cruzar a fronteira a salvo.
Todos os que iniciaram o longo percurso pelas montanhas conseguiram terminar. Inclusive o avô.
Se alguém a seu lado está preste a desistir das lutas que lhe compete, ofereça-lhe um incentivo.
Recorde da importância que ele tem para a pequena ou grande comunidade em que se movimenta.
Lembre-o que, no círculo familiar, na roda de amigos ou no trabalho voluntário, ele é alguém que faz a diferença.
Ninguém é substituível.
Cada criatura é única e tem seu próprio valor.
Uma tarefa pode ser desempenhada por qualquer pessoa, mas uma pessoa jamais substituirá a outra.
Não permita que ninguém fique à margem do caminho, somente porque não recebeu um incentivo, um estímulo, um motivo para prosseguir, até a vitória final."

(Autor Desconhecido)